Mês: fevereiro 2015

Filó de Bolso com audiodescrição aberta no Santander Cultural

filodebolso(descrição da imagem) A foto colorida e horizontal mostra, à esquerda, a atriz Diana Manenti, que aparece do peito para cima, de perfil, por trás de uma barra horizontal toda coberta por vários tecidos: preto com bolinhas brancas; listrado de preto e branco; vermelho; verde; amarelo. Diana usa uma máscara de miçangas em tons de marrom, branco, vermelho e amarelo que lhe cobre quase toda a cabeça, deixando à mostra só um olho arregalado e a boca contraída em um biquinho, como se assoprasse algo. Longos fios de sisal aplicados no topo da máscara imitam cabelos que descem em cascata pelo peito da atriz. Ela usa túnica roxa e tem um microfone tipo headset na altura do queixo. À direita, está pendurada sobre o tecido verde uma máscara feita com a fotografia do rosto da atriz Lolita Goldschmidt caracterizada como Filó, com um laçarote branco nos cabelos vermelhos de lã, olhos arregalados e boca escancarada. Ao fundo, desfocados, ramos de árvores contra a luz do dia. (fim da descrição) Foto: Renata Ibis

Ela conheceu terras distantes voando em sua pipa e agora chega a Porto Alegre para contar para todo mundo tudo o que descobriu em suas aventuras mundo afora. É a peça Filó de Bolso, versão pocket do espetáculo infantil A Menina do Cabelo Vermelho, da Las Brujas Cia de Teatro e feitiços, que estreou com audiodescrição aberta no ano passado, durante a II IncludIt – Conferência Internacional para a Inclusão, em Leiria, Portugal, e será apresentada pela primeira vez em formato acessível a pessoas com deficiência visual e surdas na Capital gaúcha. A atração, dia 26 de fevereiro, quinta-feira, às 18h, no Grande Hall do Santander Cultural, tem entrada franca.
A audiodescrição é da OVNI Acessibilidade Universal, com narração de Mimi Aragón. Simone Dornelles fará a mediação em Libras. A audiodescritora Lívia Motta, da Ver Com Palavras, estará na plateia conferindo a acessibilidade do espetáculo. Mais cedo, participa da oficina sobre audiodescrição no teatro ministrada pela OVNI no Santander Cultural. A atividade ocorre entre 24 e 27 de fevereiro e também contará com a presença da atriz e produtora Lolita Goldschmidt, que atua na peça Filó de Bolso ao lado de Diana Manenti. As vagas para a oficina estão esgotadas.

Espetáculo Filó de Bolso – A Menina do Cabelo Vermelho, com audiodescrição aberta e mediação em Libras.
Duração: 35 minutos.
Local: Santander Cultural – Grande Hall (Rua Sete de Setembro, 1028 – Praça da Alfândega – Porto Alegre/RS).
Quando: 26 de fevereiro.
Horário: 18h.
Vagas: por ordem de chegada, sujeito à lotação.
Faixa etária: livre.

Anúncios

A espaçonave pousou

duplan146
(descrição da imagem) A foto colorida e quadrada mostra uma casa branca de alvenaria com dois pisos, vista quase de viés. As aberturas, quatro na frente e três na lateral, à direita, apresentam grades cinzas. No piso superior, logo acima da porta principal, há uma sacada com guarda-corpo de metal vazado; a porta que dá acesso a ela está aberta. No térreo, à direita, em um canteiro ao lado da porta principal, há uma instalação artística formada por uma pequena caixa retangular grafitada em degradê do amarelo ao roxo sobre uma base com quatro pés altos. Um caminho de pedras escuras em meio a uma área de brita leva à porta principal, que está fechada. (fim da descrição) Foto: Duplan 146/Acervo

A OVNI Acessibilidade Universal pousou em Porto Alegre/RS e agora habita a casa Duplan 146, um lugar para pessoas que pensam e ativam economia criativa e inovação social. E estamos em excelente companhia, dividindo espaço com a Tecttum, empresa parceira desde os tempos da Tagarellas Audiodescrição, que desenvolve produtos e serviços de design socialmente orientados sob as premissas da inclusão, por meio de pesquisa aplicada e projetos com enfoque em tecnologia assistiva.
A estrutura de uso coletivo dispõe de salas multiuso e de estar, cozinha e um grande pátio ao ar livre. Um espaço que se adapta às inúmeras atividades desenvolvidas pelas cinco empresas que ocupam a casa, além do TransLAB, o laboratório de inovação social da Duplan 146, um organismo em constante funcionamento que facilita a conexão de pessoas, projetos e instituições, estimulando o cruzamento entre arte, ciência e tecnologia a partir de oficinas, vivências, percursos e encontros com diferentes temáticas.
E assim a OVNI Acessibilidade Universal está se sentindo completamente em casa, instalada em um ambiente oxigenado e propício à criação, ao intercâmbio, à cooperação, à formação de redes e cercada de parceiros alinhados com o modo como a gente pensa, produz e partilha a acessibilidade.
Todo mundo é bem-vindo pra um cafezinho aqui na Duplan 146, pra conhecer o nosso novo espaço de convivência e trabalho e também sonhar e realizar junto com a gente. A casa fica na Rua Professor Duplan, 146, no bairro Rio Branco. Os telefones da OVNI Acessibilidade Universal são o 51 3414 0774 e o 51 3414 4690.

Sobre a Duplan 146
A Duplan 146 é uma casa versátil, pulsante e aberta. Grande parte das instalações é de uso coletivo, o que faz da Duplan 146 um lugar engajado e comprometido com o desenvolvimento da cidade como comunidade. O espaço é aberto para que qualquer pessoa possa propor ações. O ambiente é vivo e a casa recebe atividades que ativem a economia criativa, arte, multicultura, inclusão social – a cidade como espaço de invenção e descoberta de novas relações. Além da OVNI, a Duplan 146 é habitada pela Tecttum, o Estúdio Nômade, a Querosene e a PAX Art.

Sobre a Tecttum
A Tecttum é uma empresa de design que trabalha por meio de um processo de desenvolvimento conjunto e integrado, com foco no usuário. A essência do modelo estabelece novas formas de comunicação entre especialistas de diversas áreas, usuários, comunidade e designers. A aproximação de todos esses atores possibilita a formação de equipes que trabalham a partir de uma visão comum na construção de um processo inclusivo que visa favorecer tanto a identificação das reais demandas do usuário quanto a relação do novo produto com seu meio.