economia criativa

OVNI estará em duas atividades da terceira edição do Projeto Simultaneidade, no Vila Flores

No sábado, 16, conversaremos sobre a produção de recursos de acessibilidade comunicacional e no domingo, 17, mediaremos com AD a oficina de cerâmica sensorial ministrada pela artista Miriam Gomes

(descrição da imagem) Na foto colorida e horizontal, uma vista do pátio interno do complexo arquitetônico do Vila Flores em um dia claro. Dois prédios de alvenaria com três andares cada estão dispostos em forma de L, o mais visível da esquerda para o centro da foto e o outro ao fundo, na direita. O aspecto de ambos é rústico e alegre, com tijolos aparentes, alvenaria envelhecida, janelas envidraçadas basculantes ou de madeira, sacadas em tons vibrantes, algumas delas exibindo desenhos coloridos a tinta spray, conhecidos como grafites, e, em cada telhado, três pequenos sótãos de madeira, chamados de águas-furtadas. O pátio é de paralelepípedos e ao longo dele estão distribuídos grandes carretéis virados feito mesas, bancos de madeira e concreto, tonéis coloridos de metal, lixeiras para coleta seletiva e canteiros com folhagens. (fim da descrição) Foto: Juliana Prestes.

Em 2015, dois anos antes de nos instalarmos no Vila Flores, participamos da segunda edição do Simultaneidade, lançando em Porto Alegre a versão do curta-metragem Objetos, de Germano Oliveira, com audiodescrição e legendas para surdos e ensurdecidos.
Agora, na programação desta terceira edição do projeto bienal que, em 2013, alinhou os primeiros passos do centro cultural do Bairro Floresta focado em economia criativa, empreendedorismo e sustentabilidade, preparamos dois momentos para celebrar nossa chegada ao Vila e debater o tema TransVerCidade, que propõe uma abordagem transversal, empática e que ultrapassa as limitações do simples olhar para construir a cidade e as relações que queremos. Confira:

OVNI de portas abertas.
16/12, sábado, das 13h às 20h, na OVNI Acessibilidade Universal.

A gente percebe o mundo à nossa volta com todos os sentidos. Nesta terceira edição do Simultaneidade, a OVNI Acessibilidade Universal abre suas portas para quem quiser conhecer um pouquinho sobre a produção de audiodescrição, legendas para surdos e ensurdecidos e LIBRAS. Vem tomar um café com a gente, trocar uma ideia sobre acessibilidade comunicacional e exercitar a empatia para entender por que o mundo, a partir do quintal de cada um de nós, fica mais justo e bonito se estiver acessível a todos.

Oficina de cerâmica sensorial.
Ministrantes: Miriam Gomes e OVNI Acessibilidade Universal.
17/12 – 14h às 15h, no Atelier de Cerâmica.

Uma oficina para experimentar as possibilidades da cerâmica… de olhos vendados! Com a ajuda da audiodescrição, que traduz cores e formas em palavras.

Clique aqui e saiba mais sobre a terceira edição do Simultaneidade.

Clique aqui e confira a programação completa.

Clique aqui e confirme sua presença no evento do Facebook.

Simultaneidade III – Edição TransVerCidade.
Quando: 16 e 17 de dezembro, sábado e domingo, das 10h às 22h.
Onde: Vila Flores (Rua São Carlos, 753 (a 30 metros da esquina com a Rua Hoffmann) – Bairro Floresta).
Quanto: Contribuição consciente.

Opções de transporte coletivo com parada na Avenida Cristóvão Colombo, na altura da Rua Hoffmann:
Ônibus

T5 – Transversal 5
608 – IAPI
610 – Minuano
611 – Lindoia
617 – Iguatemi
620 – Iguatemi / Vila Jardim
637 – Chácara das Pedras
TR61 – Cristóvão Colombo
671 – Carlos Gomes / Salso

Lotação
50.6 – Guerino / Lindoia
50.8 – Higienópolis – Benjanin Constant
50.81 – Higienópolis – Hospital Militar

Anúncios

OVNI pousa no Vila Flores, em Porto Alegre/RS

(descrição da imagem) Na foto colorida e horizontal, uma vista do pátio interno do complexo arquitetônico do Vila Flores em um dia claro. Dois prédios de alvenaria com três andares cada estão dispostos em forma de L, o mais visível da esquerda para o centro da foto e o outro ao fundo, na direita. O aspecto de ambos é rústico e alegre, com tijolos aparentes, alvenaria envelhecida, janelas envidraçadas basculantes ou de madeira, sacadas em tons vibrantes, algumas delas exibindo desenhos coloridos a tinta spray, conhecidos como grafites, e, em cada telhado, três pequenos sótãos de madeira, chamados de águas-furtadas. O pátio é de paralelepípedos e ao longo dele estão distribuídos grandes carretéis virados feito mesas, bancos de madeira e concreto, tonéis coloridos de metal, lixeiras para coleta seletiva e canteiros com folhagens. (fim da descrição) Foto: Juliana Prestes.

Nossa nave acaba de chegar ao Vila Flores, um dos polos de economia criativa mais revolucionários de Porto Alegre/RS, misturando cultura, educação, inovação social, empreendedorismo e gestão colaborativa. A OVNI Acessibilidade Universal agora compartilha um dos espaços do Vila com as artistas visuais Márcia Braga e Miriam Gomes. O endereço é Rua São Carlos, 753/53 – Bairro Floresta. Nossos canais de contato seguem os mesmos: Fones 51 98451 2115 (Mimi Aragón) e 51 99208 1176 (Kemi Oshiro), E-mail ovniacessibilidade@gmail.com, Facebook, Blog e Youtube.

(descrição da imagem) Na foto horizontal, parte em preto e branco, parte colorida, as duas sócias da OVNI Acessibilidade Universal, Kemi Oshiro e Mimi Aragón, fazem graça junto a uma parede escura com o desenho a giz em amarelo e azul, no centro da imagem, de um disco voador perto de um planeta chamado Vila Flores, onde duas criaturas extraterrestres cravam uma bandeirola com o nome OVNI. Kemi, na esquerda, e Mimi, na direita, aparecem da cintura para cima, de perfil, tocando uma no dedo indicador da outra, com expressão de espanto: olhos arregalados e boca aberta. Retratadas em preto e branco, somente suas mãos estão coloridas. Kemi é magra, tem a pele bronzeada, cabelos pretos, longos e lisos, e usa suéter claro de mangas longas. Mimi é gordinha, tem a pele muito branca, cabelos prateados, curtos e meio despenteados, e usa moletom escuro. (fim da descrição) Foto: Juliana Prestes.

Não é de hoje que sonhávamos em instalar a OVNI no Vila Flores, local que conhecemos em 2014 e onde já havíamos produzido acessibilidade para eventos como as exposições de artes visuais Este Corpo Já Foi Meu (Márcia Braga), A Escuridão Que Me Clareia (Carol W) e Hertz – do lugar que estamos (Peter Gossweiler), além do espetáculo de teatro Brasil Pequeno itinerante (Genifer Gerhardt). O namoro foi longo, mas o casamento finalmente saiu!

Levar uma empresa especializada em produzir Audiodescrição (AD), Legendas para Surdos e Ensurdecidos (LSEs) e Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) a um espaço vanguardista feito o Vila Flores indica que muitos agentes de transformação cultural e social já entendem a acessibilidade como requisito indispensável a todo e qualquer projeto voltado à garantia e ao avanço de direitos.

(descrição da imagem) Na foto colorida e vertical, Mimi, na esquerda, e Kemi, na direita, estão na sala da OVNI, apoiadas no parapeito de uma janela de madeira envelhecida, vistas de fora para dentro, sorrindo para nós. Ao fundo, a parede de quadro-negro com desenho a giz amarelo em um dos cantos tem o formato de nuvem na borda superior. (fim da descrição) Foto: Juliana Prestes.

Faz contato, vem tomar um cafezinho e aproveita para conhecer a nova base da OVNI Acessibilidade Universal. Daqui, os ideais de respeito às diferenças e inclusão plena parecem muito mais acessíveis.

​OVNI Acessibilidade Universal
Informação e cultura para todo mundo.
Vila Flores – Rua São Carlos, 753/53 – Bairro Floresta
Porto Alegre/RS – CEP 90220-121
51 98451 2115 | 51 99208 1176
ovniacessibilidade@gmail.com
​Blog
Facebook
Youtube

A espaçonave pousou

duplan146
(descrição da imagem) A foto colorida e quadrada mostra uma casa branca de alvenaria com dois pisos, vista quase de viés. As aberturas, quatro na frente e três na lateral, à direita, apresentam grades cinzas. No piso superior, logo acima da porta principal, há uma sacada com guarda-corpo de metal vazado; a porta que dá acesso a ela está aberta. No térreo, à direita, em um canteiro ao lado da porta principal, há uma instalação artística formada por uma pequena caixa retangular grafitada em degradê do amarelo ao roxo sobre uma base com quatro pés altos. Um caminho de pedras escuras em meio a uma área de brita leva à porta principal, que está fechada. (fim da descrição) Foto: Duplan 146/Acervo

A OVNI Acessibilidade Universal pousou em Porto Alegre/RS e agora habita a casa Duplan 146, um lugar para pessoas que pensam e ativam economia criativa e inovação social. E estamos em excelente companhia, dividindo espaço com a Tecttum, empresa parceira desde os tempos da Tagarellas Audiodescrição, que desenvolve produtos e serviços de design socialmente orientados sob as premissas da inclusão, por meio de pesquisa aplicada e projetos com enfoque em tecnologia assistiva.
A estrutura de uso coletivo dispõe de salas multiuso e de estar, cozinha e um grande pátio ao ar livre. Um espaço que se adapta às inúmeras atividades desenvolvidas pelas cinco empresas que ocupam a casa, além do TransLAB, o laboratório de inovação social da Duplan 146, um organismo em constante funcionamento que facilita a conexão de pessoas, projetos e instituições, estimulando o cruzamento entre arte, ciência e tecnologia a partir de oficinas, vivências, percursos e encontros com diferentes temáticas.
E assim a OVNI Acessibilidade Universal está se sentindo completamente em casa, instalada em um ambiente oxigenado e propício à criação, ao intercâmbio, à cooperação, à formação de redes e cercada de parceiros alinhados com o modo como a gente pensa, produz e partilha a acessibilidade.
Todo mundo é bem-vindo pra um cafezinho aqui na Duplan 146, pra conhecer o nosso novo espaço de convivência e trabalho e também sonhar e realizar junto com a gente. A casa fica na Rua Professor Duplan, 146, no bairro Rio Branco. Os telefones da OVNI Acessibilidade Universal são o 51 3414 0774 e o 51 3414 4690.

Sobre a Duplan 146
A Duplan 146 é uma casa versátil, pulsante e aberta. Grande parte das instalações é de uso coletivo, o que faz da Duplan 146 um lugar engajado e comprometido com o desenvolvimento da cidade como comunidade. O espaço é aberto para que qualquer pessoa possa propor ações. O ambiente é vivo e a casa recebe atividades que ativem a economia criativa, arte, multicultura, inclusão social – a cidade como espaço de invenção e descoberta de novas relações. Além da OVNI, a Duplan 146 é habitada pela Tecttum, o Estúdio Nômade, a Querosene e a PAX Art.

Sobre a Tecttum
A Tecttum é uma empresa de design que trabalha por meio de um processo de desenvolvimento conjunto e integrado, com foco no usuário. A essência do modelo estabelece novas formas de comunicação entre especialistas de diversas áreas, usuários, comunidade e designers. A aproximação de todos esses atores possibilita a formação de equipes que trabalham a partir de uma visão comum na construção de um processo inclusivo que visa favorecer tanto a identificação das reais demandas do usuário quanto a relação do novo produto com seu meio.