Teve acessibilidade cultural no Projeto Simultaneidade

O final de semana foi de acessibilidade cultural na terceira edição do Projeto Simultaneidade, no Vila Flores, que propôs o tema TransVerCidade, trazendo uma abordagem artística transversal e empática para ultrapassar as limitações do simples olhar e construir a cidade e as relações que desejamos. A OVNI Acessibilidade Universal participou de duas atividades na programação supervariada: no sábado, 16, exibimos filmes em curta-metragem e episódios de séries de televisão para os quais produzimos audiodescrição, legendas para surdos e ensurdecidos e janela de LIBRAS ao longo deste ano; no domingo, 17, foi a vez de usarmos a audiodescrição para mediar a oficina de cerâmica sensorial ministrada pela artista Miriam Gomes, nossa vizinha de sala no Vila Flores. As fotos abaixo registram os dois momentos dessa programação. Confira:


(descrição da imagem) Na foto colorida e quadrada, tirada em um dia ensolarado na sala da OVNI Acessibilidade Universal, no Vila Flores, na direita, em primeiro plano, em uma TV sobre uma bancada amarela, a cena de um video colorido com legendas, em que um homem de cabelos escuros e curtos em um pátio com folhagens diz: “com as diferenças que o público naturalmente tem”. Na esquerda, em um cartaz na parede preta feito lousa, a frase “Experimente descrever estes postais #paratodosverem” acima de dois cartões-postais. Ao fundo, a luz do dia entra pela janela aberta. (fim da descrição) Foto: Mimi Aragón.


(descrição da imagem) Na foto colorida e horizontal, tirada no Atelier de Cerâmica do Vila Flores, a artista Miriam Gomes orienta a oficina de cerâmica sensorial com três participantes vendadas. Miriam, de meia idade e cabelos curtos e avermelhados, usa camiseta regata vermelha, um longo avental creme respingado de tinta, sandálias e está na esquerda, em pé, de perfil, voltada para a direita, atenta à atividade de três mulheres sentadas em volta de uma mesa com potes de argila e moldes metálicos. Cada participante tem as mãos sobre uma placa de argila, parecendo moldá-la. Ao fundo, junto à parede de azulejos brancos, um aparador e uma prateleira repletos de copos, vasos, tigelas, moringas e pratos de cerâmica. Entre o aparador e a mesa, no chão de lajotas vermelhas, um torno elétrico para cerâmica e, bem na direita, em um cômodo ao lado, um forno de cerâmica com painel digital. (fim da descrição) Foto: Kemi Oshiro.

ovni_simultaneidade_ceramica sensorial2
(descrição da imagem) A foto colorida e vertical retrata uma das participantes da oficina de cerâmica sensorial com a venda no alto da testa, olhando para baixo, sorrindo admirada para as três peças que produziu: um incensário, um prato e um vaso. Sentada à mesa de trabalho, ela tem os braços abertos e as palmas das mãos lambuzadas de argila voltadas para cima, expressando surpresa. Ela é negra, tem os cabelos pretos, curtos, crespos e volumosos, o peito tatuado e usa camiseta regata branca, colete jeans e calças pretas. Atrás dela, junto à parede de azulejos brancos, o torno elétrico e o aparador com peças de cerâmica. (fim da descrição) Foto: Miriam Gomes.
 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s